Informations et ressources scientifiques
sur le développement des zones arides et semi-arides

Accueil du site → Doctorat → Brésil → O Nordeste semi-arido : questões de economia politica e de politica economica

Universidade Estadual de Campinas Brazil (1985)

O Nordeste semi-arido : questões de economia politica e de politica economica

Carvalho Jose Otamar de

Titre : O Nordeste semi-arido : questões de economia politica e de politica economica >

Auteur : Jose Otamar de Carvalho

Université de soutenance : Universidade Estadual de Campinas .

Grade : Doutor em Economia 1985

Résumé
Nos ultimos 25 anos, o Nordeste foi objeto de inumeros programas de desenvolvimento, tanto publicos como privados, todos eles orientados para o fortalecimento da economia regional. Como resultado desse esforco, forma obtidas altas taxas de crescimento economico, observaveis tanto a nivel global como setorial, especialmente em relacao as atividades urbano-industriais, submetidas a intensos processos de mordernizacao. As condicoes de bem estar social de sua producao mudaramk muito pouco, porem. No geral, chegaram a piorar, em especial as dos habitantes do meio rural, cuja alternativa, dos anos 70 em diante, continuou sendo a migracao, ja nao tao intensamente para o Centro-Sul, mas para o Norte e para as cidades pequenas e medias da hinterlandia semi-arida do Nordeste, em sua maioria dotadas de fragil base economica. A subutilizacao da forca de trabalho acelerou-se, particularmente nessa zona, onde as secas continuaram servindo para exacerbar as restricoes colocadas pela estrutura de posse e uso da terra. Como compreender a vulnerabilidade da agricultura dessa zona as crises climaticas, diante de execucao dos inumeros programas governamentais, criados e postos em pratica com o objetivo de reduzir o atraso economico e social que tem caracterizado o Nordeste como um todo e sua Zona Semi-Arida em particular ? Como explicar o lento avanco da irrigacao em areas secularmente fustigadas pelas secas, havendo solo e agua passiveis de exploracao agricola, via irrigacao ? O tratamento dessas questoes e levado a cabo apos o exame das politicas governamentais adotadas deste a grande seca de 1877-79 ate a secaa, ainda mais intensa, de 1979-83. Para captar a essencia das politicas entao concebidas e executadas, toma-se por base a analise dos fatores que respondem pelo atraso da agricultura do semi-arido nordestino ; "corporificadas" por uma estrutura agraria extremamente concentrada e pelo sentido que o capital mercantil, ainda dominante, da a esse estrutura. De sua articulacao, tem resultado relacoes de producao particulares, em funcao das quais sao engrerndados os interesses do Estado e dos grupos politicos e economicos dominantes. As acoes de governo, adotadas ao longo das diferentes fases da evolucao da Zona Semi-Arida, tem sido historicamente conservadas. Dai o privilegio concedido a "solucoes" que nao impliquem em mudancas estruturais, a exemplo das referidas a construcao de acuedes (de todos os tamanhos), a nucleacao artificial de nuvens, ao cultivo das lavouras xerofilas e a execucao de programas emergenciais de combate as secas. Os programas de irrigacao, importantes nas estrategias de fortalecimento da economia do semi-arido, nao tem passado do nivel de discursoi, porque sua execucao exite a desapropriacao das terras ferteis exitentes no territorio sujeito a secas. As conhecidas restricoes politicas impostas a irrigacao publica mantem-se fortes, apesar de a agricultura irrigada poder constituir (talvez) a unica e nova frente de expansao economica capaz de transformar a atrazada estrutura produtiva do Nordeste semi-arido. Economicamente viavel, a irrigacao e desejavel socialmente. Articulada a medidas de reforma agraria, a agricultura irrigada ensejara a ampliacao da oferta de empregos, no campo e nas cidades, mediante a expansao de atividades urbano-industriais. Menos

Présentation

Page publiée le 4 avril 2010, mise à jour le 4 juillet 2017