Informations et ressources scientifiques
sur le développement des zones arides et semi-arides

Accueil du site → Master → Portugal → Taxonomia, biostratigrafia, paleoecologia e paleobiogeografia de palinomorfos do Cenomaniano médio da Nazaré

Universidade do Minho (2019)

Taxonomia, biostratigrafia, paleoecologia e paleobiogeografia de palinomorfos do Cenomaniano médio da Nazaré

Fernandes , Luís Bernardo Ferreira

Titre : Taxonomia, biostratigrafia, paleoecologia e paleobiogeografia de palinomorfos do Cenomaniano médio da Nazaré

Taxonomy, biostratigraphy, palaeoecology and palaeobiogeography of palynomorphs from the middle Cenomanian of Nazaré

Auteur : Fernandes , Luís Bernardo Ferreira

Université de soutenance : Universidade do Minho

Grade : Mestrado em Geociências (área de especialização em Dinâmica Externa e Mudanças Globais) 2019

Résumé
O trabalho apresenta o estudo palinológico de unidades sedimentares inseridas num extenso corpo carbonatado de idade Cenomaniano-Turoniano, representativo da instalação e evolução tectonosedimentar da Plataforma Carbonatada Ocidental Portuguesa. Neste corpo sedimentar, no promontório da Nazaré, foram recolhidas doze amostras nos níveis laminíticos margosos a margo-calcários, de cor negra e granulometria fina, do Cenomaniano médio. A análise palinológica teve como principal enfoque o estudo taxonómico, paleoecológico e paleogeográfico das associações de quistos de dinoflagelados (dinoquistos), tendo sido complementada por análises quantitativas. Verificou-se uma abundância relativa acentuada de pólenes e esporos, bem como, a ocorrência de forros internos de foraminíferos e de algas verdes apontando afinidades proximais, contíguas a cursos fluviais em ambientes de salinidade reduzida. As associações de dinoquistos são dominadas na maioria das amostras pelo taxon eurihalino Subtilisphaera sp. Contudo, em duas amostras os taxa dominantes são Xenascus sp. e o grupo Sentusidinium spp. A presença de Oligosphaeridium sp., Florentinia sp., Palaeohystrichophora infusorioides, Xenascus ceratioides, Coronifera oceanica, Downiesphaeridium sp. e Xiphophoridium alatum apontam para uma comunicação, algo constrangida, a condições marinhas. Este padrão sugeriu a prevalência de ambientes neríticos internos, pouco profundos, com algum grau de confinamento, possivelmente salobros, por vezes, abertos às condições marinhas. Os taxa de dinoquistos apontam, condições variáveis no meio, mas, em geral, de baixa a reduzida salinidade, rico em nutrientes, de produtividade alta e, provavelmente, com correntes ascendentes. A ocorrência de angiospérmicas, gimnospérmicas, pteridófitas, licófitas e briófitas representam, possivelmente, condições húmidas locais em climas sazonalmente quentes e áridos, inferidas pelo domínio de Classopollis sp. O limite estratigráfico obtido através da Primeira Ocorrência de Xiphophoridium alatum do Cenomaniano médio para o Hemisfério Norte, permitiram aferir uma idade não inferior ao Cenomaniano médio, inserindo-se no nível “B” de Choffat (1897) ou “Nível com Pterocera incerta”, correlativo à biozona de amonites com Acanthoceras rhotomagense, marcador da base do Cenomaniano médio. Os novos dados de índole palinológica permitiram estabelecer uma relação biostratigráfica com estudos anteriores para os dinoquistos na Nazaré.

Présentation

Version intégrale (14 Mb)

Page publiée le 23 mars 2021