Informations et ressources scientifiques
sur le développement des zones arides et semi-arides

Accueil du site → Master → Portugal → Caraterização de bolotas de Quercus ilex subsp. rotundifolia ao longo de um gradiente climático no Alentejo

Universidade de Lisboa (2021)

Caraterização de bolotas de Quercus ilex subsp. rotundifolia ao longo de um gradiente climático no Alentejo

Abreu, Margarida Isabel Azinhaga

Titre : Caraterização de bolotas de Quercus ilex subsp. rotundifolia ao longo de um gradiente climático no Alentejo

Auteur : Abreu, Margarida Isabel Azinhaga

Université de soutenance : Universidade de Lisboa

Grade : Mestrado em Biologia dos Recursos Vegetais 2020

Résumé partiel
Como consequência das alterações climáticas, é esperado um aumento de aridez nas zonas áridas da Bacia do Mediterrâneo. Em Portugal, estas zonas são dominadas por azinheira (Quercus ilex subsp. rotundifólia Lam.), quercínea que, a par com o sobreiro (Quercus suber L.), integram o sistema agrosilvopastoril designado de Montado (Dehesa em Espanha). Este sistema cobre a maior parte da região sul do país, o Alentejo, e providencia biodiversidade e uma diversidade de serviços de ecossistema. Contudo, nas últimas décadas tem-se vindo a assistir a um declínio do Montado, causado especialmente pelo uso insustentável do solo e agravado pelo aumento da aridez. A perda de indivíduos adultos e a falta de regeneração natural da azinheira suscitam preocupações, uma vez que esta espécie está melhor adaptada às condições mais extremas das zonas áridas. Desta forma, torna-se necessário encontrar estratégias que apoiem a regeneração da azinheira. Parte da solução passa pela sua valorização e dos seus frutos que, sendo nutricionalmente ricos, podem contribuir para uma dieta equilibrada. Atualmente, as bolotas são utilizadas principalmente para a alimentação dos porcos ibéricos, no entanto, foram usadas como parte da dieta humana durante séculos na Península Ibérica. Hoje em dia, novas receitas são criadas com bolota e esta começa novamente a usar-se como recurso alimentar para consumo humano. As bolotas de azinheira são descritas como as mais doces dentro do género Quercus em Portugal. Ainda assim, nem todas as azinheiras produzem bolota naturalmente agradável ao palato. Consta que o povo português designava de “castanholas” as bolotas que eram doces e que apresentavam uma forma mais arredondada. Neste sentido, surgiu a necessidade de compreender como reconhecer azinheiras produtoras de bolota “doce”, tendo em vista a possibilidade de aumentar o interesse no consumo deste fruto e, consequente, de aumentar a valorização da azinheira e do montado onde se insere.

Présentation

Version intégrale (1,5 Mb)

Page publiée le 22 mai 2022