Informations et ressources scientifiques
sur le développement des zones arides et semi-arides

Accueil du site → Doctorat → Brésil → Efeitos das mudanças no uso da terra na respiração do solo e das raízes na região semiárida de Pernambuco

Universidade Federal de Pernambuco (2022)

Efeitos das mudanças no uso da terra na respiração do solo e das raízes na região semiárida de Pernambuco

ORESCA, Denizard

Titre : Efeitos das mudanças no uso da terra na respiração do solo e das raízes na região semiárida de Pernambuco

Auteur : ORESCA, Denizard

Université de soutenance : Universidade Federal de Pernambuco

Grade : Doutorado em Tecnologias Energéticas e Nucleares 2022

Résumé
O semiárido brasileiro enfrenta graves problemas de degradação do solo. A substituição da vegetação nativa da caatinga por áreas de pastagens, de forma inapropriada, implica na degradação física, química e biológica do solo. Os sistemas agroflorestais têm sido vistos como uma técnica conservacionista capaz de mitigar a degradação do solo, pois além de reter mais carbono, são mais resilientes aos eventos da seca. Diante do exposto, objetivou-se verificar a resistência agroecológica a eventos extremos como a seca, bem como comparar o uso da prática agroecológica como uma alternativa viável das mudanças de uso da terra, com aqueles submetidos à agricultura convencional. Para isso propôs-se avaliar a dinâmica da respiração do solo, separar e quantificar a respiração das raízes, bem como avaliar as propriedades fisico-hídricas e microbiológicas do solo. O experimento foi conduzido em três sistemas de uso do solo : CA (Caatinga densa), PD (Pastagem degradada) e SAFs (Sistemas Agroflorestais). Amostras de solo foram coletadas na camada de 0-10 cm para a caracterização fisico-química. Em dois momentos (seco e chuvoso), amostras de solo foram coletadas nas camadas de 0-5, 5-10 e 10-20 cm para quantificar o carbono orgânico total (COT), a respiração basal (RBS), o carbono da biomassa microbiana (Cmic), os quocientes microbiano (qMic) e metabólico (qCO2). Igualmente, testes de infiltração com anel simples foram realizados de acordo com a metodologia "Beerkan", para determinar a condutividade hidráulica saturada (Ks) e a sorvidade (S). Em paralelo a essas medidas de infiltração, o solo foi caracterizado quanto à sua resistência à penetração (RP). Colares de pvc foram instalados no solo a 3 e 30 cm de profundidade para a determinação da respiração total ((RS) e heterotrófica (RH ), respectivamente. As medidas de respiração foram realizados com um Analisador de Gás por Infravermelho (IRGA), equipado com uma câmara de retenção de CO2. A respiração das raízes (RR) foi calculada pela diferença entre RS e RH . A umidade do solo na camada de 0-10 cm foi medida com um FDR (Diviner 2000) em tubos de accesso e a temperatura do solo (Ts) foi registrada com um termômetro infravermelho digital. Modelos matemáticos foram utilizados para avaliar o efeito da umidade e temperatura na respiração do solo. Os solos em áreas de SAFs e CA apresentaram maior S, Ks, menor RP, maior COT e RBS quando comparados com os solos sob PD. Os maiores valores de respiração foram encontrados nos SAFs (19,32 ton C ha−1 ano−1), seguido por CA (13,43 ton C ha−1 ano−1), e os menores menores valores na PD (8,40 ton C ha−1 ano−1). As raízes contribuíram com 33,25 e 32,9% para a RS na CA e nos SAFs, respectivamente, e 22,27% na PD. As RS, RH e RR mostraram forte correlação positiva com a θv e forte correlação negativa com a Ts. Os valores de qMic e qCO2 indicam que CA e SAFs são ambientes mais estáveis que PD e, sendo assim, os SAFs podem ser considerados como uma prática de recuperação de áreas degradadas.

Présentation

Version intégrale (1,2 Mb)

Page publiée le 20 décembre 2022