Informations et ressources scientifiques
sur le développement des zones arides et semi-arides

Accueil du site → Master → Brésil → 2022 → Adubações silicatadas em mudas de umbu-cajazeira (Spondias sp.) Irrigadas com águas salinas

Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA) 2022

Adubações silicatadas em mudas de umbu-cajazeira (Spondias sp.) Irrigadas com águas salinas

Amorim, Patrycia Elen Costa

Titre : Adubações silicatadas em mudas de umbu-cajazeira (Spondias sp.) Irrigadas com águas salinas

Auteur : Amorim, Patrycia Elen Costa

Université de soutenance : Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA)

Grade : Mestrado em Fitotecnia 2022

Résumé
A salinidade é um dos estresses abióticos que mais limitam a produção agrícola, sendo este problema mais severo nas regiões áridas e semiáridas. Em virtude disso, algumas práticas podem ser adotadas para amenizar os efeitos deletérios da salinidade sobre o crescimento e desenvolvimento das plantas nessas regiões, como a utilização da adubação com silício. Nesse contexto, o objetivo desta pesquisa foi avaliar o efeito da adubação silicatada em mudas de umbu-cajazeira, irrigadas com águas salinas. O experimento foi conduzido em casa de vegetação localizada no setor de produção de mudas do Departamento de Ciências Agronômicas e Florestais da Universidade Federal Rural do Semiárido (UFERSA), campus Mossoró, RN. O delineamento experimental adotado foi inteiramente casualizado, com cinco tratamentos (T1 : CEa 0,5 dS m-1 (Testemunha) ; T2 : CEa 3,5 dS m-1 ; T3 : CEa 3,5 dS m-1 + 3,5 g de CaSiO3 (via solo) ; T4 : CEa 3,5 dS m-1 + 2,2 mL L-1 de K2SiO3 (via foliar) e T5 : CEa 3,5 dS m-1+ 3,5 g de CaSiO3 (via solo) + 2,2 mL L-1 de K2SiO3 (via foliar)) e oito repetições, totalizando 40 unidades experimentais. As mudas foram avaliadas quanto ao crescimento, acúmulo de biomassa, índice de tolerância à salinidade, trocas gasosas, fluorescência da clorofila a, pigmentos fotossintéticos e nutrição do tecido foliar. Os dados obtidos foram submetidos à análise de variância, teste F (p ≤ 0,05) e as médias dos tratamentos comparadas pelo teste de Tukey (p ≤ 0,05) no programa estatístico SISVAR. A aplicação da adubação silicatada, no geral, não atenuou a salinidade nas mudas de umbu-cajazeira, mas as mudas que receberam fornecimento de silício na forma de silicato de cálcio apresentaram porcentagem de sobrevivência de folhas, teor de carotenoide e fluorescência inicial semelhantes à testemunha. As variáveis clorofila b e florescência da clorofila a, exceto florescência inicial e a máxima eficiência quântica do fotossistema II não foram influenciadas pela salinidade. Quanto ao critério de avaliação de tolerância à salinidade, as mudas de umbu-cajazeira se apresentaram sensíveis à salinidade. A adubação silicatada atenuou a absorção de sódio, mas não suficiente para melhorar as variáveis de crescimento e fisiológicas. Portanto, as adubações com silício à base de silicato de cálcio via solo e silicato de potássio via foliar não mitigaram os efeitos deletérios da salinidade nas plantas de umbu-cajazeira irrigadas com salinidade de 3,5 dS m-1

Présentation

Version intégrale (1,7 Mb)

Page publiée le 2 janvier 2023