Informations et ressources scientifiques
sur le développement des zones arides et semi-arides

Accueil du site → Master → Brésil → 2010 → Seed rain in the area of agriculture abandoned near a fragment preserved of caatinga in Pernambuco, Brazil.

Universidade Federal Rural de Pernambuco (2010)

Seed rain in the area of agriculture abandoned near a fragment preserved of caatinga in Pernambuco, Brazil.

SOUZA, Jefferson Thiago

Titre : Seed rain in the area of agriculture abandoned near a fragment preserved of caatinga in Pernambuco, Brazil.

Chuva de sementes em área abandonada após cultivo próxima a um fragmento preservado de caatinga em Pernambuco, Brasil

Auteur : SOUZA, Jefferson Thiago

Université de soutenance : Universidade Federal Rural de Pernambuco

Grade : Mestre em Botanica 2010

Résumé
O papel de fragmentos preservados de caatinga na regeneração de um ambiente antropizado foi avaliado em uma área utilizada de agricultura e abandonada há 15 anos. Foram colocados 105 coletores de sementes na área de cultivo abandonado, distribuídos em 5 transectos de 210 m, perpendiculares ao fragmento preservado de caatinga. Coletores foram colocados em faixas a cada 10 m de distância do fragmento. Os coletores consistiram em vasos cilíndricos de polietileno com 81 cm de circunferência e 30 cm de altura, os quais foram colocados diretamente sobre o solo e fixados por estacas de madeira. Mensalmente, de agosto de 2008 a junho de 2009, todos os coletores foram monitorados, visando quantificar a chuva de diásporos na área abandonada. Para as espécies ocorrentes no fragmento e na área abandonada, foram selecionados 10 indivíduos (quando possível) e monitorados quanto à ocorrência de produção e dispersão de seus diásporos. Nestes indivíduos, foram observados quantos apresentavam evidências de corte, para analisar a presença de rebrotas. Foi utilizado o teste de Kruskal-Wallis para analisar a variação na riqueza e densidade de diásporos. Regressão Linear Simples foi usada para avaliar o efeito da distância do fragmento na chuva de sementes alóctone. Diferenças sazonais na chuva de sementes foram testadas através do Qui-quadrado. Foram encontradas 16 famílias, 32 gêneros, 56 espécies, sendo 15 lenhosas, 22 herbáceas, 16 espécies identificadas apenas como morfoespécies e três apenas ao nível de família. A riqueza de espécies da chuva de sementes variou significativamente (H = 132,44 ; p<0,01) e 140 espécies do fragmento preservado não foi registrada na chuva de sementes da área abandonada. A densidade total da chuva de sementes da comunidade foi de 2.270 sem.m- 2 no ano, variando de 300 a 1077 sementes entre as 21 faixas de distância estabelecidas. A densidade de sementes da assembléia de herbáceas foi de 971,2 sem.m-2 e da assembléia de lenhosas foi de 1.220,2 sem.m-2, restando 78,2 sem.m-2 referente a espécies não identificadas.Cerca de 22% dos indivíduos lenhosos estabelecidos na área abandonada foram provenientes de rebrota das plantas cortadas, enquanto que no fragmento preservado o número de indivíduos que se estabeleceram por rebrota foi de 4%. A densidade da chuva de sementes diferiu significativamente entre estações climáticas ( 2 = 13,63 ; p<0,01), sendo cerca de duas vezes maior na estação seca (1.511,1 sem.m-2) e mais concentrada no início da estação (setembro, outubro e novembro). 28 (50%) espécies dispersaram sementes exclusivamente na estação seca, sendo 8 (28% anemocóricas, 11 (39%) autocóricas e 9 (32%) morfoespécies.Os resultados mostraram que em ambientes semiáridos, a riqueza de espécies das áreas antropizadas não é recuperada num tempo de 15 anos, mesmo com a presença de fragmentos preservados. A rebrota de plantas contribui para a regeneração de áreas submetidas a corte, mas a germinação de sementes é a estratégia reprodutiva importante na regeneração de áreas antropizadas. Após 15 anos de abandono, a chuva autóctone impossibilita avaliar o papel do fragmento preservado na chuva de diásporos da área abandonada.

Présentation -> http://www.tede2.ufrpe.br:8080/tede...

Version intégrale (1,8 Mb)

Page publiée le 24 décembre 2011, mise à jour le 22 février 2019