Informations et ressources scientifiques
sur le développement des zones arides et semi-arides

Accueil du site → Master → Brésil → 2010 → CARACTERIZAÇÃO DA ESTRUTURA DE HÁBITAT AO LONGO DE UM GRADIENTE AMBIENTAL E ANÁLISE DE SUA INFLUÊNCIA NA DISTRIBUIÇÃO DAS ESPÉCIES AMEAÇADAS DE GUIGÓS (CALLICEBUS SPP.) DO NORDESTE BRASILEIRO.

Universidade Federal de Sergipe (2010)

CARACTERIZAÇÃO DA ESTRUTURA DE HÁBITAT AO LONGO DE UM GRADIENTE AMBIENTAL E ANÁLISE DE SUA INFLUÊNCIA NA DISTRIBUIÇÃO DAS ESPÉCIES AMEAÇADAS DE GUIGÓS (CALLICEBUS SPP.) DO NORDESTE BRASILEIRO.

Beltrão Mendes Raone

Titre : CARACTERIZAÇÃO DA ESTRUTURA DE HÁBITAT AO LONGO DE UM GRADIENTE AMBIENTAL E ANÁLISE DE SUA INFLUÊNCIA NA DISTRIBUIÇÃO DAS ESPÉCIES AMEAÇADAS DE GUIGÓS (CALLICEBUS SPP.) DO NORDESTE BRASILEIRO

DESCRIPTION OF THE HABITAT OF THE LONG AN ENVIRONMENTAL GRADIENT AND ITS ANALYSIS INFLUENCE ON DISTRIBUTION OF SPECIES ENDANGERED OUTRIGGER (CALLICEBUS SPP.) NORTHEASTERN BRAZILIAN.

Auteur : Beltrão Mendes Raone

Université de soutenance : Universidade Federal de Sergipe

Grade : Mestrado em Ecologia e Conservação 2010

Résumé
Callicebus é um dos gêneros mais diversos e complexos dentre os primatas Neotropicais (Infraordem Platyrrhini). Duas espécies do Nordeste do Brasil estão ameaçadas de extinção, principalmente por conta da redução e fragmentação de hábitat. A Conservação dessas espécies é dificultada pela falta de informação confiável sobre suas distribuições geográficas, e sobre a condição dos ecossistemas em que habitam. Para entender a atual distribuição das espécies mais ameaçadas (Callicebus barbarabrownae e Callicebus coimbrai) é preciso identificar os fatores determinantes, tanto bióticos (p.ex.interações intra e interespecífica, dinâmica populacional, disponibilidade de recurso) quanto abióticos (p.ex. umidade, temperatura, estrutura de hábitat).O objetivo deste estudo foi compreender quais fatores influenciam na distribuição geográfica de C.barbarabrownae e C.coimbrai na área de estudo, avaliando variáveis bióticas (espécies arbóreas) e abióticas (estrutura de hábitat), condicionados à disposição espacial dos fragmentos.Vistoriou-se 70 fragmentos na bacia do baixo Rio São Francisco sergipano, desde a Mata Atlântica à Caatinga. Callicebus estava presente em 16 sítios, dos quais 13 são novas localidades para o gênero.A estrutura do hábitat de nove (contendo ou não Callicebus) foi avaliada através da análise de agrupamento para variáveis bióticas, abióticas e bióticas/abióticas em conjunto, que revelou agrupamento distinto entre os fragmentos de Caatinga (56% ; 94% ; e 73% de similaridade, respectivamente) e Mata Atlântica (14% ; 92% ; e 50% de similaridade, respectivamente)Os fragmentos representando o Agreste (ecótono) se agruparam com os fragmentos de Mata Atlântica ou Caatinga, evidenciando o caráter transitório deste tipo de ambiente. A análise da estrutura espacial da distribuição do Callicebus revelou uma correlação positiva entre os fragmentos representando a Mata Atlântica (Morans I = 0,702 a 0,961) e Caatinga (I = -1,043 a -0,872), e uma correlação negativa entre esses dois conjuntos, com uma clara lacuna de aproximadamente 70 km da distribuição do gênero, coincidindo com o Agreste.Isso reforça a idéia de que as espécies C.barbarabrownae e C. coimbrai são distintas e endêmicas da Caatinga e Mata Atlântica, respectivamente.Essas descobertas reforçam a necessidade de desenvolvimento de estratégias distintas para a conservação e manejo para as diferentes populações dessas espécies, dado que as mesmas enfrentam condições ambientais diferenciadas em vida livre.

Mots Clés : callicebus coimbrai ; habitat structure ; biogeography ; atlantic forest ; caatinga ; Callicebus barbarabrownae ; estrutura de hábitat ; biogeografia ; mata atlântica ; caatinga

Présentation

Version intégrale (1,35 Mb)

Page publiée le 24 décembre 2011, mise à jour le 26 février 2019