Informations et ressources scientifiques
sur le développement des zones arides et semi-arides

Accueil du site → Master → Brésil → 2011 → Ecologia trafica de Rhinella hoogmoedi Caramaschi e Pombal, 2006 (Anura, Bufonidae) em uma floresta amida do estado do Ceara, Brasil

Universidade Federal do Ceara (2011)

Ecologia trafica de Rhinella hoogmoedi Caramaschi e Pombal, 2006 (Anura, Bufonidae) em uma floresta amida do estado do Ceara, Brasil

BRITO, Lucas Bezerra de Mattos.

Titre : Ecologia trafica de Rhinella hoogmoedi Caramaschi e Pombal, 2006 (Anura, Bufonidae) em uma floresta amida do estado do Ceara, Brasil

Trophic ecology of Rhinella hoogmoedi Caramaschi e Pombal, 2006 (Anura, Bufonidae) in a humid forest in the State of Ceará, Brazil

Auteur : BRITO, Lucas Bezerra de Mattos.

Université de soutenance : Universidade Federal do Ceara

Grade : Master of Science 2011

Résumé
O conhecimento sobre relações tróficas é essencial para a compreensão da ecologia evolutiva de espécies, assim como no entendimento de como as comunidades se estruturam. O uso de um mesmo alimento por duas ou mais espécies pode levar ao surgimento de mecanismos capazes de amenizar a competição inter-específica, como a diversificação dos itens consumidos. Dentro de populações, a competição elevada pode resultar em variações inter-individuais quanto ao consumo dos recursos tróficos disponíveis. Estudos sobre a ecologia trófica de anuros têm analisado : i) Itens alimentares que constam na dieta ; ii) Variação sazonal na dieta e estratégia alimentares ; iii) Variações ontogenéticas na dieta ; e iv) Variações inter-individuais na dieta. No presente estudo, indivíduos de uma população de Rhinella hoogmoedi em Guaramiranga (remanescente de floresta úmida no nordeste brasileiro), foram coletados mensalmente de julho de 2009 até junho de 2010 para investigar os recursos tróficos consumidos pela espécie, utilizando o método de lavagem estomacal (“stomach-flush”). Foi caracterizada a dieta e sua variação em função do tamanho, da sazonalidade e entre indivíduos. Dentre os 130 indivíduos analisados foi encontrado um total de 2078 itens alocados em 16 categorias de presa. Tamanho (comprimento e volume) das presas estive relacionado com tamanho (comprimento) do predador. Formicidae, Acari, Coleoptera e Isoptera foram os principais itens consumidos. Houve variação ontogenética nos padrões de alimentação, com indivíduos menores que 15 mm consumindo uma maior proporção de Acari e aqueles maiores que 15 mm consumindo uma maior proporção de Formicidae. Houve uma pequena variação na dieta de R. hoogmoedi entre as estações seca e chuvosa. Foi observada uma baixa tendência de R. hoogmoedi em apresentar especialização intra-específica. É provável que a especialização em determinados itens alimentares (Formicidae e Acari) por parte da espécie, limite, por meio de mecanismos de trade-off, o espectro de possíveis presas consumíveis, reduzindo as possibilidades de variações inter-individuais mais representativas. São necessários estudos que avaliem como o grau de especialização intra-específica varia em função dos hábitos alimentares das demais espécies de anuros presentes na comunidade, contribuindo para o entendimento de como relações alimentares podem atuar na ecologia evolutiva deste táxon. Além disso, é recomendável que estudos futuros busquem quantificar a disponibilidade de presas no ambiente, contribuindo para um melhor entendimento do fluxo de matéria entre níveis tróficos. O intenso desmatamento observado nas florestas úmidas de altitude do semi-árido nordestino, atrelado aos constantes relatos de declínio em populações de anuros e a escassez de dados sobre o elevado número de espécies evidenciam a urgência de pesquisas desta natureza.

Mots clés : Amphibia ; especializaÃÃo intra-especÃfica ; dieta ; partiÃÃo de recursos ; serrapilheira ; Amphibia ; intra-specific specialization ; diet ; resource partition ; leaf-litter ; Anuros ; Animais - Alimentos ; Ecologia

Présentation

Version intégrale

Page publiée le 16 juin 2013, mise à jour le 12 mars 2019