Informations et ressources scientifiques
sur le développement des zones arides et semi-arides

Accueil du site → Doctorat → Brésil → Conseqüências das mudanças climáticas na distribuição dos biomas na América do Sul, com ênfase na amazonia e nordeste

Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (2009)

Conseqüências das mudanças climáticas na distribuição dos biomas na América do Sul, com ênfase na amazonia e nordeste

Salazar Velásquez Luis Fernando

Titre : Conseqüências das mudanças climáticas na distribuição dos biomas na América do Sul, com ênfase na amazonia e nordeste

Auteur : Salazar Velásquez Luis Fernando

Université de soutenance : Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais

Grade : Doctor of Philosophy (PhD) 2009

Résumé
Realiza-se um estudo de modelagem para avaliar as possíveis conseqüências da mudança climática na distribuição dos biomas na América do Sul e principalmente nas regiões da Amazônia e Nordeste do Brasil. Utiliza-se saídas de modelos globais e regionais forçados com diferentes cenários de emissões de gases de efeito estufa (A1, A1B, B2 and B1), para a integração de modelos de vegetação potencial. Na escala dos cenários climáticos globais foram usados os modelos CPTEC-PVM e CPTEC-PVM2.0 (este último uma versão que incluí o ciclo de carbono). Para o estudo dos cenários regionais de mudança climática desenvolve-se modificações nos modelos originais, de forma a considerar a variabilidade espacial dos solos (e os parâmetros associados). Tanto os modelos de vegetação globais quanto os regionais apresentaram um bom desempenho na representação dos principais biomas da América do Sul. Devido à quantidade de cenários climáticos utilizados, foram feitas análises em términos dos modelos individualmente e do consenso deles (locais onde mais de 75% dos modelos apontam para a mesma condição futura da vegetação). As integrações com os modelos que não consideram o ciclo de carbono (CPTEC-PVM e CPTEC-PVMReg) apresentam substituição de floresta tropical por savanas na região leste da Amazônia e de caatinga por semi-deserto no interior do Nordeste do Brasil. As análise com os modelos que consideram o ciclo de carbono (CPTEC-PVM2.0 e CPTEC-PVMReg2.0) apresentaram menores áreas consensuais destas mudanças, devido ao papel do efeito de fertilização por CO_2. Estes modelos apontam para maior probabilidade de substituição de floresta tropicais por florestas estacionais na região leste da Amazônia e áreas de não consenso da condição futura no interior do Nordeste do Brasil. As projeções de diminuição de precipitação na estação seca, e o aumento da temperatura são as responsáveis pela mudança de bioma. O limiar encontrado crítico para substituição das florestas nesta região é de 3°C. Florestas estacionais num ambiente com maior atividade de fogo (fontes de ignição devido ao desmatamento), potencializados por um clima mais quente e seco, poderiam alterar a estabilidade dá vegetação tornado-as áreas de savana. A resposta dos ecossistemas tropicais para valores elevados de CO_2 e os mecanismos de resiliência da floresta amazônica a condições de estresse, são fontes de incerteza neste estudo.

Mots clés : Mudança climática ; biomas ; modelos de vegetação potencial ; Amazônia ; Nordeste ; climate change ; biomes ; potential vegetation models ; Amazonia (region) ; Northeast Brazil

Présentation

Version intégrale

Page publiée le 18 juin 2013, mise à jour le 10 juillet 2017