Informations et ressources scientifiques
sur le développement des zones arides et semi-arides

Accueil du site → Master → Brésil → 2010 → Avaliacao do potencial de sementes de Bauhinia cheilantha (Bong.) Steud., uma especie do semiarido nordestino, como fonte de proteanas na alimentao. Bauhinia cheilantha (Bong.) Steud.)

Universidade Federal do Ceará - UFC (2010)

Avaliacao do potencial de sementes de Bauhinia cheilantha (Bong.) Steud., uma especie do semiarido nordestino, como fonte de proteanas na alimentao. Bauhinia cheilantha (Bong.) Steud.)

TEIXEIRA, D. C.

Titre : Avaliacao do potencial de sementes de Bauhinia cheilantha (Bong.) Steud., uma especie do semiarido nordestino, como fonte de proteanas na alimentao. Bauhinia cheilantha (Bong.) Steud.)

A Species of Brazilian Northeast Semi-arid, as a Food Protein Source

Auteur : TEIXEIRA, D. C.

Université de soutenance : Universidade Federal do Ceará - UFC

Grade : Master of Science 2010

Résumé
Um dos problemas mundiais mais graves é a escassez de alimentos devido ao crescimento da população. Inúmeros estudos investigaram fontes não convencionais de alimentos ricos em proteínas para atender às necessidades de países com situação econômica desfavorável. Bauhinia cheilantha, popularmente conhecida como pata-de-vaca ou unha-de-boi é uma leguminosa pertencente à subfamília Caesalpinoideae de ocorrência frequente nas áreas de mata de Caatinga. Poucos estudos com sementes do gênero Bauhinia sugerem seu potencial nutricional para alimentação humana e/ou animal. Deste modo, o presente estudo objetivou avaliar as proteínas de B. cheilantha quanto ao seu valor nutricional usando ratos como modelo experimental. As sementes de B. cheilantha demonstraram bom potencial nutricional apresentando alto conteúdo de proteínas (35,88%) e fibra alimentar (45,31%), enquanto os teores de cinzas, carboidrato e lipídio foram de 3,9%, 6,2 % e 8,71% de peso seco da farinha de B. cheilantha, respectivamente. O perfil de ácidos graxos presentes na semente mostrou elevado teor de ácido linoléico (40,4%) e ácido oléico (20,7%) que constituem importantes componentes para a manutenção da saúde. A composição de aminoácidos essenciais da farinha e do concentrado protéico da semente apresentaram, perfil razoável quando comparadas com recomendações para crianças. Os fatores antinutricionais inibidores de tripsina (31,49 UI/gF), lectinas (793,6 UH/gF) e urease (32,89 U/gF) apresentaram-se iguais ou menores quando comparados a valores encontrados para soja e outras leguminosas, apesar da B. cheilantha ser uma espécie selvagem, enquanto taninos, flavononóis, flavonas, flavanóis ou xantonas, triterpenóides, esteróides e saponinas foram detectados em um teste qualitativo, podendo representar compostos antrinutricionais dependendo de suas quantidades. Para os testes biológicos, ratos foram divididos em sete grupos que receberam dietas controles utilizando como fonte de proteína (caseína, como proteína de alto valor biológico, soja como proteína de uma leguminosa com bom valor nutricional e uma dieta isenta de proteínas) e dietas experimentais utilizando como fonte de proteína (farinha da semente crua, farinha da semente previamente colocada em demolho, farinha da semente previamente colocada em demolho seguida de cozimento por 1 hora e com o concentrado protéico da semente). Os animais expostos às dietas com semente crua e em demolho e com concentrado protéico apresentaram as menores taxas de ganho de peso (-17,51 g, -16,57 g e 10,40 g, respectivamente), enquanto a dieta com a semente tratada termicamente ofereceu melhora no ganho de peso (-2,50 g). A digestibilidade apresentada por todas as dietas foi considerada promissora variando de 70,36% a 90,96%. Os valores de NPU e valor biológico, respectivamente para as dietas com B. cheilantha crua (-40,26% e -14,70%) e em demolho (-7,46% e -80,86%) foram melhorados com os processos de cozimento (25,63% e 35,37%) e extração de proteínas solúveis (26,62% e 29,34%). Os resultados de parâmetros séricos e pesos secos relativos de órgãos de ratos não demonstraram sinais de toxicidade. Assim, pode-se concluir que as sementes de B. cheilantha são uma boa fonte de proteínas quando comparados seus parâmetros com os de outras leguminosas utilizadas na alimentação, apesar de não oferecerem palatabilidade boa o suficiente para proporcionar crescimento adequado de ratos.

Version intégrale

Page publiée le 21 février 2016, mise à jour le 12 mars 2019