Informations et ressources scientifiques
sur le développement des zones arides et semi-arides

Accueil du site → Master → Brésil → 2016 → Fisiologia e bioquímica do tomateiro submetido à irrigação salina parcial do sistema radicular

Universidade Estadual Paulista (UNESP) 2016

Fisiologia e bioquímica do tomateiro submetido à irrigação salina parcial do sistema radicular

Alves, Rita de Cássia

Titre : Fisiologia e bioquímica do tomateiro submetido à irrigação salina parcial do sistema radicular

Physiology and bioquimica of tomato submitted saline irrigation partial of the root system

Auteur : Alves, Rita de Cássia

Université de soutenance : Universidade Estadual Paulista (UNESP)

Grade : Mestre em Agronomia, (Produção Vegetal). 2016

Résumé
O tomateiro é uma das hortaliças mais cultivadas em ambiente protegido, destacando-se entre as hortaliças melhor adaptadas a esse sistema de cultivo. A produção e qualidade dos frutos estão diretamente relacionadas com a qualidade da água utilizada e o manejo adequado da irrigação. Para propor estratégias de manejo no uso de água salina na irrigação de tomateiro, o presente estudo teve como objetivo avaliar o crescimento, desenvolvimento, rendimento ; qualidade e respostas antioxidantes do tomateiro cultivado sob estresse salino parcial do sistema radicular. O experimento foi conduzido em ambiente protegido na Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA), em Mossoró, RN, Brasil. O delineamento estatístico utilizado foi o inteiramente casualizado, com seis tratamentos e quatro repetições, totalizando 24 unidades experimentais. Os tratamentos consistiram de seis manejos de irrigação utilizando águas de baixa e alta salinidade (S1-0,5 e S2-5,0 dS m-1), com ou sem divisão do sistema radicular. Para os tratamentos T1, T2 e T3 não houve divisão do sistema radicular, sendo que para tratamentos T4*, T5* e T6*, foi adotado o sistema de divisão das raízes. O número de folhas, área foliar, altura de planta, diâmetro de caule e partição de fotoassimilados (massa seca de folha, caule, raiz, fruto e total) foram os parâmetros de crescimento determinados. Diâmetro transversal, diâmetro longitudinal, número de frutos por planta, massa fresca média de fruto, produção, pH, Firmeza de polpa, teor de sólidos solúveis, acidez titulável, vitamina C coloração de frutos, licopeno e β-caroteno foram determinados como parâmetros para a avaliação do rendimento e qualidade dos frutos enquanto as respostas antioxidantes foram utilizadas para avaliação do estresse oxidativo. De acordo com os resultados, não foi observado efeito deletério da salinidade sobre o crescimento e partição de fotoassimilados, uma vez que as respostas observadas em todos os tratamentos foram semelhantes ao tratamento T1 (controle). Os melhores resultados de rendimento e qualidade foram observados nos tratamentos T4* e T5*. O PRSI não influenciou nas respostas das enzimas antioxidantes nas folhas, frutos e raízes. No entanto, a atividade da GR foi influenciada negativamente pelo uso do sistema de irrigação salina parcial do sistema radicular (ISPSR). O sistema ISPSR, quando manejado de forma adequada, mostra-se como uma alternativa viável para redução dos efeitos deletérios provocados pelo estresse salino no híbrido de tomateiro Supera F1

Mots Clés  : Estresse oxidativo Manejo de água Salinidade Solanum lycopersicum L. Oxidative stress Salinity Water management

Présentation

Version intégrale

Page publiée le 4 juin 2019