Informations et ressources scientifiques
sur le développement des zones arides et semi-arides

Accueil du site → Master → Brésil → Desenvolvimento e nodulação de leguminosas arbóreas forrageiras em solos do semiárido potiguar

Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA) 2015

Desenvolvimento e nodulação de leguminosas arbóreas forrageiras em solos do semiárido potiguar

COSTA, Heráclito Lima de Souza.

Titre : Desenvolvimento e nodulação de leguminosas arbóreas forrageiras em solos do semiárido potiguar

Development and nodulation legumes tree forage in the soil semiarid potiguar

Auteur : COSTA, Heráclito Lima de Souza.

Université de soutenance : Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA)

Grade : Mestrado em Produção Animal 2015

Résumé
O sabiá (Mimosa caesalpiniifolia Benth.) e o jucá (Caesalpinia férrea Mart. ex. Tul) são espécies da família leguminosae e fazem parte da vegetação nativa do semiárido nordestino a Caatinga. O objetivo desse trabalho foi avaliar o desenvolvimento da planta e nodulação de espécies arbóreas em diferentes usos do solo no Semiárido Potiguar. Para realização do experimento foram coletadas nove amostras de solos com diferentes usos : três amostras com cultivos agrícolas (AG), três amostras de mata nativa (MN) e três amostras com características de degradação (DE). Foram realizadas analises física e química dos solos, sendo processados e distribuídos em sacos de mudas com capacidade de 5L, com uma planta por saco. O experimento foi conduzido em casa de vegetação. A colheita do experimento foi realizada aos 90 dias após transplantio. As variáveis analisadas foram : altura da planta (AP), diâmetro do colo (DC), massa seca da parte aérea (MSPA), massa seca de raiz (MSR), massa seca da planta inteira (MSPI) e número de nódulos (NN). O delineamento experimental foi inteiramente casualizado, com 9 tratamento e 3 repetições. Foi observado menor DC, MSPA, MSR e MSPI nos solos MA2, DE1 e DE2 para o sabiá. Para o jucá o menor desenvolvimento das plantas foi nos solos MA2 e DE2. O sabiá apresentou nodulação em todos os solos, enquanto o jucá não formou nódulo nenhum. Os solos com características de degradação proporcionaram ao sabiá maior numero de nódulos que os solos agricultáveis e de mata nativa

The sabiá (Mimosa caesalpiniifolia Benth.) and the jucá (Caesalpinia férrea Mart. ex. Tul) are species of the leguminosae family and are part of the native vegetation of the northeastern semiarid the Caatinga. The objective of this study was to evaluate the development of the plant and nodulation of arboreal species in different land uses in the Potiguar semiarid. To perform the experiment were collected nine soil samples with different uses : three samples with agricultural cultivation (AC), three samples of native forest (NF) and three samples with degradation characteristics (DE). Physical analysis and soil chemistry were made, and also processed and distributed in bags of seedlings with 5L capacity, with one plant per bag. The experiment was conducted in a greenhouse. The harvest of the experiment was performed 90 days after the transplanting. The variables analyzed were : plant height (PH), stem diameter (SD), dry matter of the aerial part (DMAP), root dry weight (RDW), dry matter of the whole plant (DMWP) and number of nodes (NN). The experimental design was completely randomized, with 9 treatment and 3 repetitions. We found a smaller SD, DMAP, RDW and DMWP in NF2 soils, DE1 and DE2 to the sabiá. For the jucá the lowest growth of plants was in NF2 and DE2 soils. The sabiá presented nodulation in all soils, while the jucá not formed any nodule. Soils with degradation characteristics provided the sabiá greater number of nodes than the agricultural soils and native vegetation

Présentation

Version intégrale (1,0 Mb)

Page publiée le 15 mars 2019