Informations et ressources scientifiques
sur le développement des zones arides et semi-arides

Accueil du site → Master → Brésil → 2018 → Características das chuvas na distribuição temporal da interceptação vegetal em região semiárida

Universidade Federal do Ceará (2018)

Características das chuvas na distribuição temporal da interceptação vegetal em região semiárida

BRASIL, José Bandeira

Titre : Características das chuvas na distribuição temporal da interceptação vegetal em região semiárida

Characteristics of rainfall in the temporal distribution of vegetal interception in semi-arid region

Auteur : BRASIL, José Bandeira

Université de soutenance : Universidade Federal do Ceará

Grade : Mestrado em Engenharia Agrícola 2018

Résumé
Em regiões com escassez de água, as perdas por interceptação e as características da precipitação interna desempenham funções importantes nos processos ecohidrológicos nos solos florestais. Nesse sentido, o presente estudo objetivou compreender os processos de interceptação vegetal da chuva e a sua distribuição temporal, em uma área com floresta tropical sazonal seca no semiárido brasileiro, em função das características das chuvas. A pesquisa foi realizada em uma microbacia experimental no município de Iguatu, Ceará, com vegetação predominante Floresta Tropical Sazonal Seca (FTSS) - Caatinga arbóreo-arbustiva, em regeneração há 39 anos. Durante o período de 2010 a 2016, foram monitoradas a precipitação interna, o escoamento pelos troncos das árvores e perda por interceptação em uma área de 10 x 10 m2 , com registro de 185 eventos. Para o entendimento das características da precipitação externa e precipitação interna utilizou-se um pluviógrafo automático de cuba basculante. Para investigar a distribuição temporal da precipitação interna, os dados foram coletados durante a estação chuvosa (janeiro a abril) de 2017, totalizando 30 eventos naturais de precipitação pluviométrica. As características das chuvas foram investigadas por meio da Análise da Componente Principal (ACP) e Análise de Agrupamento Hierárquico (AAH) na definição de possíveis grupos similares quanto a interceptação e as variáveis pluviométricas determinantes da mesma, originando três classes de eventos pluviométricos distintos. A aplicação da ACP formou duas componentes explicando 86,6% dos dados, sendo uma componente formada pelas intensidades máximas e a outra pela duração da chuva e intensidade média. Mesmo a intensidade média da chuva apresentando baixa correlação com todas as variáveis, a mesma pode ser utilizada nos estudos de perda por interceptação vegetal, em função da mesma ser mais simples de determinar do que a intensidade máxima da chuva em 30 minutos (I30). Maiores perdas por interceptação foram para classe de chuva I, caracterizando eventos de baixa altura pluviométrica, baixa (I30), baixa duração da chuva, baixa ocorrência de eventos. Ocorreu um decréscimo de 17 pontos percentuais na perda por interceptação vegetal entre a primeira e última classe de chuva, devido ao aumento da altura pluviométrica, duração da chuva e (I30). A vegetação promove uma redução no total da precipitação que chega efetivamente ao solo, gerando um aumento no tempo de duração da chuva, e menores intensidades máximas, expressando a importância da cobertura vegetal no controle dos processos de geração de escoamento e erosão hídrica. Para cada evento chuvoso ocorre um atraso temporal na precipitação interna, de modo que para precipitações pluviométricas ≤ 0,8 mm nos 5 minutos iniciais da chuva, nenhum evento foi capaz de gerar precipitação interna; enquanto que, para os eventos com 20 minutos de duração, todos registraram precipitação interna. Embora o total precipitado seja a característica dominante, outros fatores interferem na variabilidade temporal da precipitação interna, existindo a necessidade de estudos mais detalhados em uma menor escala de tempo. Este estudo mostrou que as características das chuvas investigadas fornecem explicações importantes para compreensão do processo de perda por interceptação e de distribuição temporal da precipitação interna

Présentation

Version intégrale (3,2 Mb)

Page publiée le 6 mai 2019