Informations et ressources scientifiques
sur le développement des zones arides et semi-arides

Accueil du site → Master → Brésil → 2018 → Iniciação do escoamento em microbacia hidrográfica e relações hídricas no sistema solo-planta-atmosfera no Bioma Caatinga

Universidade Federal do Ceará (2018)

Iniciação do escoamento em microbacia hidrográfica e relações hídricas no sistema solo-planta-atmosfera no Bioma Caatinga

FIGUEIREDO, José Vidal de.

Titre : Iniciação do escoamento em microbacia hidrográfica e relações hídricas no sistema solo-planta-atmosfera no Bioma Caatinga

Runoff initiation in small watershed and water relations in the solo-plant-atmosphere system at caatinga bioma

Auteur : FIGUEIREDO, José Vidal de.

Université de soutenance : Universidade Federal do Ceará

Grade : Mestrado em Engenharia Agrícola 2018

Résumé partiel
As principais saídas no balanço hídrico do solo em uma bacia hidrográfica no semiárido são : escoamento, evaporação e transpiração. No bioma Caatinga, localizado na região semiárida brasileira, tem-se observado que a vegetação afeta consideravelmente a variação da umidade no perfil do solo e que são raros os eventos de escoamento superficial. Além disso, as investigações sobre a transpiração em espécies da Caatinga em condições naturais ainda são pouco abrangentes e compreender o uso da água pelas árvores é crucial para a restauração ecológica sustentável e para a compreensão ecohidrológica. Nesse contexto, objetivou-se analisar as condições que promovem o início do escoamento superficial em uma bacia hidrográfica semiárida, e estudar a dinâmica temporal da transpiração através de medidas do fluxo de seiva (FS), em plantas representativas do bioma Caatinga. O estudo foi desenvolvido na Bacia Experimental de Aiuaba (BEA, 12 km²). O trabalho encontra-se dividido em dois capítulos principais : i) Iniciação do escoamento em microbacia hidrográfica do semiárido sob Caatinga preservada no nordeste brasileiro ; ii) Transpiração em plantas do bioma Caatinga. No primeiro capítulo foram analisadas as condições necessárias para ocorrência do escoamento superficial. Entre os dados analisados no período de 2005 a 2014 (10 anos) estão : a precipitação total ; precipitação com cinco dias antecedentes ; umidade antecedente do solo ; duração da precipitação ; e intensidade de chuva (média e máxima dentro de 5, 15, 30, 45, 60 e 120 minutos). Ao todo foram monitorados 118 eventos com precipitação superior a 10 mm, proporcionando 45 eventos com escoamento, 25 com escoamento desprezível e 49 sem escoamento. A partir dos resultados avalia-se que o coeficiente de escoamento anual foi inferior a 0,5% e ocorreu escoamento superficial apenas quatro dias por ano em média, caracterizando a escassez de água superficial do bioma Caatinga. As variáveis mais relevantes para explicar o início do escoamento foram precipitação total e intensidade máxima de precipitação em 60 min (I60). O escoamento ocorreu sempre que a precipitação total ultrapassou 31 mm, mas nunca ocorreu para precipitação abaixo de 14 mm ou para I60 abaixo de 12 mm.h-1. O fato de a duração da intensidade crítica (60 min) ser semelhante ao tempo de concentração da bacia (65 min) e que o valor do limiar de infiltração se aproxima da condutividade hidráulica saturada do leito fluvial suportam o pressuposto de que prevalece o escoamento superficial Hortoniano

Présentation

Version intégrale (2,5 Mb)

Page publiée le 14 mars 2019