Informations et ressources scientifiques
sur le développement des zones arides et semi-arides

Accueil du site → Doctorat → Brésil → Irrigação com déficit hídrico controlado na cultura da mangueira no semiárido baiano

Universidade Federal de Vicosa (2012)

Irrigação com déficit hídrico controlado na cultura da mangueira no semiárido baiano

SANTOS, Marcelo Rocha dos

Titre : Irrigação com déficit hídrico controlado na cultura da mangueira no semiárido baiano

Auteur : SANTOS, Marcelo Rocha dos.

Université de soutenance : Universidade Federal de Vicosa

Grade : Doutorado em Construções rurais e ambiência 2012

Résumé
Objetivou-se com este trabalho avaliar o efeito da irrigação com déficit controlado, aplicado ao período de floração à maturação dos frutos, sobre a produção comercial, eficiência do uso da água, trocas gasosas, temperatura foliar, extração de água e distribuição do sistema radicular de mangueira Tommy Atkins , cultivada em região semiárida. O trabalho foi desenvolvido numa área experimental da CODEVASF, localizada no Perímetro Irrigado de Ceraíma, Município de Guanambi, Sudoeste da Bahia, em um Neossolo Flúvico eutrófico. O experimento foi conduzido por dois ciclos produtivos do pomar aos 11 e 12 anos de idade, com árvores espaçadas de 8,0 m x 8,0 m, irrigadas por microaspersão. O delineamento experimental foi em blocos casualizados com cinco tratamentos e seis repetições. Os tratamentos foram : 1 Irrigação suprindo 100% da ETc da floração à colheita dos frutos ; 2 50% da ETc do início da floração ao início da expansão dos frutos e 100% deste até a maturação fisiológica ; 3 100% da ETc do início da floração ao início da expansão dos frutos, 50% do início da expansão até início da maturação fisiológica e 100% na maturação fisiológica dos frutos ; 4 100% da ETc do início da floração ao final da expansão dos frutos e 50% na maturação fisiológica ; 5 Sem irrigação. As irrigações foram realizadas com base na evapotranspiração de referência (ETo) determinada diariamente por meio do método de Penman-Monteith FAO 56. O teor de água do solo foi monitorado com uso de TDR. Durante as fases I, II e III e para todos os tratamentos, as taxas de transpiração e de fotossíntese, a condutância estomática, a concentração interna de CO2 e a temperatura foliar foram determinadas por meio de um analisador de gás infravermelho (IRGA). Os tratamentos foram comparados quanto à produtividade total, em número de frutos, à produtividade e número de frutos por classes de peso, quanto à eficiência de uso da água, trocas gasosas e densidade de comprimento de raízes total e por classes de diâmetros. A extração de água, independentemente do tratamento, dá-se, principalmente, à distância inferior a 1,50 m do caule e nos primeiros 0,50 m de profundidade. Não houve diferenças significativas na densidade de comprimento de raízes (DCR) entre os tratamentos 1, 2, 3 e 4, assim como entre os tratamentos 1, 4 e 5. A maior DCR está compreendida de 0 a 1,0 m de distância do caule e 0,20 a 0,90 m de profundidade. Houve influência do manejo com RDI na produtividade. A aplicação da RDI com 50% da ETc na terceira fase de desenvolvimento do fruto resultou em maior número de fruto, maior produtividade e melhor eficiência de uso da água. A aplicação da RDI com 50% da ETc na fase de pegamento dos frutos ocasiona redução significativa no número de frutos e decréscimo na produtividade. As classes de peso de fruto 400 e 500g apresentam maiores contribuições na produtividade total nos tratamentos 1, 2, 3 e 4. O déficit hídrico total ou parcial no solo ocasionou redução na taxa fotossintética, na transpiração e na condutância estomática das folhas da mangueira Tommy Atkins . O déficit hídrico parcial no solo não ocasiona alterações significativas na concentração interna de CO2 e na temperatura foliar da mangueira Tommy Atkins

Présentation

Version intégrale (2,90 Mb)

Page publiée le 6 février 2020