Informations et ressources scientifiques
sur le développement des zones arides et semi-arides

Accueil du site → Master → Brésil → 2018 → Morfologia e germinação de sementes de jambu (Acmella oleracea L. R. K. Jansen)

Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA) 2018

Morfologia e germinação de sementes de jambu (Acmella oleracea L. R. K. Jansen)

Sousa, Erivanessa Costa

Titre : Morfologia e germinação de sementes de jambu (Acmella oleracea L. R. K. Jansen)

Morphology and germination of jambu seeds (Acmella oleracea L. R. Jansen)

Auteur : Sousa, Erivanessa Costa

Université de soutenance : Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA)

Grade : Mestrado em Fitotecnica 2018

Résumé
O jambu (Acmella oleracea L. R. K. Jansen) é uma espécie herbácea não convencional, utilizada para fins medicinais e alimentícios, com poucas informações relacionadas aos aspectos agronômicos, principalmente no tocante à tecnologia de sementes. Diante disso, objetivou-se avaliar os aspectos morfológicos de plântulas e a germinação de sementes de jambu sob diferentes temperaturas e déficit hídrico. Para isso, foram desenvolvidos três experimentos no Laboratório de Análise de Sementes (LAS) da Universidade Federal Rural do Semi-Árido, Mossoró, RN. No primeiro experimento, utilizamos amostras de 100 sementes de duas procedências (Belém e Castanhal, PA), realizando a biometria das sementes (comprimento, largura e espessura), peso de mil sementes, número de sementes g-1 e teor de água. Também realizamos as descrições das estruturas externas das sementes e plântulas e o monitoramento da curva de embebição. No segundo experimento, as sementes das duas procedências foram colocadas para germinar nas temperaturas constantes de 20, 25, 30 e 35 °C e alternadas de 20-30 e 25-35 ºC, sob fotoperíodo de 12 h de luz e 12 h de escuro. As características avaliadas foram : germinação, índice de velocidade de germinação, comprimento e massa seca de plântulas. No terceiro experimento, as sementes das duas procedências foram colocadas em substrato umedecido com soluções de PEG 6000 e manitol nos potenciais osmóticos de 0,0 ; -0,2 ; -0,4 ; -0,6 e -0,8 MPa. Avaliou-se a germinação, índice de velocidade de germinação, comprimento e massa seca de plântulas. O delineamento experimental utilizado foi o inteiramente casualizado, com quatro repetições para ambos os experimentos. A germinação de sementes de jambu é do tipo epígea, sendo a plântula fanerocotiledonar, com cotilédones foliáceos. A protrusão da radícula inicia-se a partir do primeiro dia após a semeadura e o surgimento de plântulas dotadas de estruturas essenciais definidas ocorre a partir do quarto dia. Verificou-se que o teste de germinação do jambu pode ser conduzido sob temperaturas constante de 25 e 30 ºC e alternada de 20-30 ºC. A diminuição do potencial hídrico prejudicou as características analisadas, com nível de tolerância máxima em -0,2 MPa em PEG e em potenciais osmóticos iguais ou inferiores a -0,6 MPa em manitol

Présentation

Version intégrale (1,44 Mb)

Page publiée le 24 février 2020