Informations et ressources scientifiques
sur le développement des zones arides et semi-arides

Accueil du site → Doctorat → Brésil → Influência do gradiente bioclimático entre a Floresta Atlântica e Caatinga sobre a diversidade-beta e padrão espaço-temporal de escorpiões (Arachnida : Scorpiones) no Estado de Pernambuco

Universidade Federal de Pernambuco (2018)

Influência do gradiente bioclimático entre a Floresta Atlântica e Caatinga sobre a diversidade-beta e padrão espaço-temporal de escorpiões (Arachnida : Scorpiones) no Estado de Pernambuco

LIRA, André Felipe de Araújo

Titre : Influência do gradiente bioclimático entre a Floresta Atlântica e Caatinga sobre a diversidade-beta e padrão espaço-temporal de escorpiões (Arachnida : Scorpiones) no Estado de Pernambuco

Auteur : LIRA, André Felipe de Araújo

Université de soutenance : Universidade Federal de Pernambuco

Grade : Doutorado - Biologia Vegetal 2018

Résumé
Ao longo de gradientes bioclimáticos, elevadas taxas de substituição de espécies (β- diversidade) decorrentes da alta heterogeneidade ambiental podem contribuir para a compreensão dos padrões da diversidade biológica em larga escala, os quais são pouco conhecidos para artrópodes neotropicais. No presente trabalho, analisou-se as interações entre o gradiente bioclimático (Floresta Atlântica-Caatinga), a diversidade e a distribuição espaço-temporal de escorpiões no estado de Pernambuco. Em adição foi investigado a distribuição potencial futura no cenário de aquecimento global. Foram realizadas coletas entre os meses de novembro/2014 e março/2016 em 20 municípios (Floresta Atlântica = 8 e Caatinga = 12), durante as estações seca e chuvosa. Em cada local, 12 transectos de 30 m foram amostrados através de busca ativa noturna com auxílio de lanternas UV. Durante as coletas foram anotados dados referentes ao microhabitat e estágio do desenvolvimento dos indivíduos. As diversidades beta e gama foram maiores em direção as áreas de temperatura mais elevadas no gradiente. A variação da composição das espécies foi explicada por variáveis climáticas e espaciais. Contudo, nenhuma dessas variáveis influenciou a riqueza. A sazonalidade e o estágio de desenvolvimento foram determinantes para distribuição espacial e a atividade de forrageio das espécies. Os modelos futuros para a distribuição das espécies, mostraram que o aquecimento global pode impactar significativamente a distribuição potencial dos escorpiões, sendo as espécies de Floresta Atlântica mais afetadas do que as de Caatinga.

Présentation

Page publiée le 27 janvier 2020