Informations et ressources scientifiques
sur le développement des zones arides et semi-arides

Accueil du site → Doctorat → Brésil → Atributos físicos, químicos e biológicos do solo em cultivo de moringa (Moringa Oleifera Lam.) sob manejo conservacionista no semiárido pernambucano

Universidade Federal Rural de Pernambuco (URFPE) 2019

Atributos físicos, químicos e biológicos do solo em cultivo de moringa (Moringa Oleifera Lam.) sob manejo conservacionista no semiárido pernambucano

PINHEIRO, Liliane da Cruz

Titre : Atributos físicos, químicos e biológicos do solo em cultivo de moringa (Moringa Oleifera Lam.) sob manejo conservacionista no semiárido pernambucano

Auteur : PINHEIRO, Liliane da Cruz

Université de soutenance : Universidade Federal Rural de Pernambuco (URFPE)

Grade : Doutorado em Engenharia Agrícola 2019

Résumé
Atualmente um dos principais desafios científicos e tecnológicos para mitigar os efeitos da degradação do solo tem sido a restauração não só da estrutura, mas também do funcionamento do sistema degradado, no entanto, esforços nessa linha só serão bem sucedidos se puderem agregar benefícios econômicos e sociais, e os benefícios ecológicos. Na tentativa de reverter este cenário, as práticas conservacionistas são consideradas alternativas para fundamentar um novo paradigma, baseado no desenvolvimento sustentável. O presente trabalho teve como objetivo avaliar a variabilidade espaço-temporal dos atributos físicos, químicos, biológicos do solo e desenvolvimento da cultura de Moringa (Moringa oleifera Lam) sob técnica de manejo conservacionista vegetativa, cobertura morta (pó de coco). Para isto, realizaram-se dois experimentos em campo no vale aluvial no semiárido, na Estação Experimental de Agricultura Irrigada de Parnamirim - PE, pertencente à Universidade Federal Rural de Pernambuco. O primeiro experimento foi avaliado efeito da cobertura morta e adubação orgânica no nos parâmetros físico-químicos do solo, nematofauna do solo e desenvolvimento do cultivo Moringa sob irrigação. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado cujos fatores avaliados compreenderam quatro tratamentos (presença de cobertura morta (PCM), presença de adubação orgânica (PAO), presença de adubação e cobertura morta (PAOCM) e testemunha) ; repetição ao longo do tempo (antes do transplantio, 205 DAT, 332 DAT, 438 DAT, 604 DAT) com cinco repetições, totalizando 20 unidades experimentais. Os dados obtidos foram submetidos à análise de variância, com níveis de significância de 5% para o teste F, sendo utilizado o teste de Tukey ao nível de 5% de probabilidade. No segundo experimento foram selecionadas três áreas : uma área na mata ciliar (MC), e duas áreas adjacentes com cultivo de Moringa sob irrigação (uma área contendo uso de prática conservacionista, utilizando pó de coco como cobertura morta (PCM), e outra área com ausência da cobertura morta (ACM)). Os dados do obtidos foram submetidos à análise descritiva e análise geoestatística para caracterização da dependência espacial para modelagem de semivariogramas e elaboração de mapas de krigagem. Realizou-se, em ambos os experimentos, a determinação dos parâmetros fenológicos : altura de plantas e diâmetro caulinar. Foram determinados os teores de umidade (w), carbono orgânico (CO), atividade microbiana (C-CO2), condutividade elétrica do solo (CE). Apenas o primeiro experimento foi avaliado a nematofauna do solo e temperatura do solo e planta. De acordo com os resultados obtidos, a técnica de manejo conservacionista utilizando a cobertura morta (pó de coco) influenciou no desenvolvimento da oleaginosa moringa e contribuiu para o acréscimo do carbono orgânico no solo, diminuindo a perda de umidade do solo e a temperatura do solo. Observou-se que houve incremento significativo nos valores do carbono orgânico na época de amostragem (205 DAT, 332 DAT e 604 DAT), principalmente no tratamento com presença de cobertura morta. As variações do carbono orgânico do solo são mais evidentes para a camada de 0,0 - 0,20 m, não tendo ocorrido variabilidades importantes no tratamento na ausência de cobertura morta. A atividade microbiana com os tratamentos com e sem cobertura, não se observando evidência de distinção de padrões. Os parasitos de planta foram dominantes dentre os grupos tróficos, havendo presença de nematoides Rhabditts, Rhabditidae e Diplogaster, que possuem escala c-p1, nos tratamentos com presença de cobertura morta, sendo indicativo de que a área está em um ambiente perturbado. Os nematoides são considerados importantes bioindicadores que são influenciados pelas propriedades químicas do solo em condições de campo sob o plantio de oleaginosa. De acordo com os resultados obtidos no estudo, o plantio da oleaginosa se desenvolveu adequadamente na região, proporcionando novos conceitos junto com técnica conservacionista para a convivência com as condições do solo e escassez hídrica, incrementando os estoques de carbono no solo.

Présentation

Version intégrale (4,08 Mb)

Page publiée le 15 janvier 2020