Informations et ressources scientifiques
sur le développement des zones arides et semi-arides

Accueil du site → Master → Brésil → 2019 → Memória hídrica de sementes : implicações ecofisiológicas durante a germinação e o desenvolvimento inicial de espécies da Caatinga

Universidade Federal de Sergipe (2019)

Memória hídrica de sementes : implicações ecofisiológicas durante a germinação e o desenvolvimento inicial de espécies da Caatinga

Lima, Ayslan Trindade

Titre : Memória hídrica de sementes : implicações ecofisiológicas durante a germinação e o desenvolvimento inicial de espécies da Caatinga

Auteur : Lima, Ayslan Trindade

Université de soutenance : Universidade Federal de Sergipe

Grade : Mestrado em Ecologia e Conservação 2019

Résumé
Memória hídrica de sementes é a habilidade que as sementes apresentam em reter alterações fisiológicas ocasionadas pela hidratação descontinua durante o processo de embebição, podendo promover benefícios em parâmetros germinativos e de desenvolvimento inicial, como aquisição de tolerância ao déficit hídrico e produção de plântulas mais vigorosas. Este estudo visou compreender os efeitos dos ciclos de hidratação e desidratação (ciclos de HD) durante a embebição sobre a germinação de sementes de Senna spectabilis (DC.) H.S. Irwin & Barneby var. excelsa (Schrad.) H.S. Irwin & Barneby (Fabaceae) em condições de déficit hídrico e sobre o desenvolvimento inicial de plântulas de Mimosa tenuiflora (Willd.) Poir. (Fabaceae). Assim, esta dissertação foi dividida em dois capítulos em formato de artigo científico. O primeiro avaliou os efeitos dos ciclos de HD na germinação de sementes de S. spectabilis var. excelsa submetidas às condições de déficit hídrico. Neste capítulo, as sementes passaram por ciclos de HD (0, 1, 2 e 3 ciclos) correspondentes aos tempos X (6 horas), Y (16 horas) e Z (24 horas) de hidratação, determinados a partir da curva de embebição, com 5 horas de desidratação e postas para germinar em condições de estresse hídrico. A germinação foi avaliada nos potenciais 0,0 ; -0,1 ; -0,3 ; -0,6 e -0,9 MPa, obtidos com a utilização da solução de polietileno glicol 6000. Foram calculados a germinabilidade (%), tempo médio de germinação (dias) e tempo hídrico (MPa.d-1). Sementes de S. spectabilis var. excelsa são sensíveis aos baixos potenciais hídricos, porém, quando submetidas aos ciclos de HD no tempo Y (16 horas), há um aumento na tolerância às condições de déficit hídrico. Além disso, os benefícios observados nos parâmetros germinativos mostraram que S. spectabilis var. excelsa apresenta memória hídrica de sementes. O segundo capítulo objetivou avaliar o efeito dos ciclos de HD na germinação e no desenvolvimento inicial de plântulas de M. tenuiflora, avaliando a hipótese de que sementes que passam pelos ciclos de HD produzem plântulas maiores e com maior acumulação de biomassa. Sementes de M. tenuiflora foram submetidas a 0, 1, 2 e 3 ciclos de HD. Foram avaliados parâmetros germinativos e de desenvolvimento inicial. Apesar da germinabilidade das sementes não ter sido alterada entre os tratamentos, sementes de M. tenuiflora que foram submetidas aos ciclos de HD germinaram em um menor espaço de tempo. Além disso, plântulas produzidas a partir de sementes que foram submetidas aos ciclos de HD apresentaram maior comprimento da parte aérea, maior diâmetro do caule e maiores valores de massa seca de folhas, caule e raízes. Os ciclos de HD proporcionaram o fenômeno da memória hídrica nas sementes estudadas, o qual pode apresentar implicações ecológicas, uma vez que sementes que foram submetidas à hidratação descontínua durante o processo de embebição produziram plântulas mais vigorosas e sementes mais tolerantes ao déficit hídrico.

Présentation

Version intégrale (2,65 Mb)

Page publiée le 5 mars 2020