Informations et ressources scientifiques
sur le développement des zones arides et semi-arides

Accueil du site → Master → Brésil → 2019 → Efeitos da instabilidade pluviométrica sobre a previsão da produção de lavouras de sequeiro em áreas sujeitas à desertificação (ASD) no semiárido do estado do Ceará : casos de Irauçuba e Tauá

Universidade Federal do Ceará (2019)

Efeitos da instabilidade pluviométrica sobre a previsão da produção de lavouras de sequeiro em áreas sujeitas à desertificação (ASD) no semiárido do estado do Ceará : casos de Irauçuba e Tauá

Costa Filho, João da

Titre : Efeitos da instabilidade pluviométrica sobre a previsão da produção de lavouras de sequeiro em áreas sujeitas à desertificação (ASD) no semiárido do estado do Ceará : casos de Irauçuba e Tauá

Auteur : Costa Filho, João da

Université de soutenance : Universidade Federal do Ceará

Grade : Mestrado em Economia Rural 2019

Résumé
A degradação dos recursos naturais com impactos ambientais não é um fato recente. Desde períodos mais remotos, a história da humanidade registra que o meio ambiente passa por processos de destruição, o que só tem se intensificado ao longo do tempo. Essa agressão à natureza desencadeia vários danos aos recursos naturais, dentre outros,o fenômeno da “desertificação”. No semiárido brasileiro, esse fenômeno é bastante evidente em algumas áreas. Outra característica bem peculiar desse ecossistema é a instabilidade pluviométrica que possui relação direta com a produção agrícola. Esta pesquisa buscou analisar como esse binômio formado por instabilidade pluviométrica e desertificação influencia na produção das lavouras de feijão, mandioca e milho, cultivadas em regime de “sequeiro” nos Municípios de Irauçuba e Tauá. Esses municípios estão situados nas Áreas Sujeitas à Desertificação (ASD) no semiárido cearense. Os objetivos específicos da pesquisa são : A- Desenhar modelos de comportamento de flutuação das precipitações anuais de chuvas dos municípios de Irauçuba e Tauá, comparativamente ao que acontece no Estado do Ceará no período que se estende de 1974 a 2017 ; B - Avaliar a instabilidade/estabilidade das variáveis, bem como as evoluções das variáveis : área colhida, produtividade, preço médio, produção e valor da produção de feijão, mandioca e milho em cada um dos regimes pluviométricos identificados na pesquisa nos Municípios de Irauçuba e Tauá no mesmo período ; C – Desenhar modelos probabilísticos de antevisão das variáveis que são definidoras da produção de agricultura de sequeiro nas ASD do Semiárido Cearense no período sob investigação ; D - Avaliar o efeito da pluviometria sobre essas previsões. A pesquisa utiliza dados coletados junto à FUNCEME e ao IBGE, e cobre o período de 1974 a 2017. Os procedimentos metodológicos utilizados estão segmentados de acordo com os objetivos específicos a que se propõem. Assim, utilizam-se os coeficientes de variação (CV) para medir a instabilidade/estabilidade dos diferentes tipos de clima que a pesquisa caracterizará para os municípios selecionados no estudo. Os CV também serão utilizados como medidas de instabilidade/estabilidade das produtividades da terra, áreas colhidas e preços médios das lavouras, avaliados dentro de cada um dos regimes pluviométricos que serão identificados na pesquisa. Estimam-se taxas geométricas de crescimento das produtividades da terra. Para fazer previsões das variáveis endógenas, o trabalho utiliza modelos ARIMA desenvolvidos por Box e Jenkins (1976). Para avaliar o impacto das chuvas sobre as previsões das variáveis endógenas a pesquisa utiliza modelo de regressão loglinear que avalia as chuvas impactando os ruídos gerados nas previsões ou impactando diretamente as previsões. Os resultados confirmam instabilidades pluviométricas nos dois municípios estudados. Mostram que há diferenças estatísticas entre os regimes pluviométricos definidos para cada município. A pesquisa confirma a hipótese central que de as variações pluviométricas impactam a previsão de variáveis endógenas na produção de feijão, mandioca e milho em Irauçuba e Tauá, sobretudo sobre a produtividade da terra

Présentation

Version intégrale (1,7 Mb)

Page publiée le 26 février 2020