Informations et ressources scientifiques
sur le développement des zones arides et semi-arides

Accueil du site → Master → Brésil → 2019 → Mineração de scheelita no Semiárido Potiguar : avaliação da qualidade e percepção ambiental em áreas degradadas por esta atividade antrópica

Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) 2019

Mineração de scheelita no Semiárido Potiguar : avaliação da qualidade e percepção ambiental em áreas degradadas por esta atividade antrópica

Pereira, Bruna Rafaella Freitas

Titre : Mineração de scheelita no Semiárido Potiguar : avaliação da qualidade e percepção ambiental em áreas degradadas por esta atividade antrópica

Scheelita mining in the Potiguar Semiarid : quality assessment and environmental perception in areas degraded by this anthropic activity

Auteur : Pereira, Bruna Rafaella Freitas

Université de soutenance : Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN)

Grade : Mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente 2019

Résumé
A contaminação dos recursos hídricos provenientes das ações antrópicas, como a mineração, é uma fonte de preocupação para a saúde pública, sobretudo devido às misturas complexas presentes nos efluentes que são lançados nas águas superficiais destinadas ao consumo humano. Um dos principais impactos causados pela atividade mineradora é o aporte de metais pesados no solo. Em virtude disso, há uma supressão da vegetação e uma alteração na qualidade da água pela presença de substâncias carreadas nos efluentes das áreas de mineração. As atividades de lavra e do processamento mineral também podem contribuir para a poluição das águas superficiais e subterrâneas, caso não haja controle rigoroso das operações envolvidas. Adicionalmente, os processos erosivos e de assoreamento que ocorrem nas minas e nas pedreiras, podem contribuir para o aumento na concentração de metais pesados nos corpos d’água. Diante deste cenário, o presente estudo teve por objetivo avaliar a toxicidade genética induzida por rejeitos oriundos de uma Mina localizada no Semiárido Potiguar, associado ao estudo de percepção ambiental sobre a temática da mineração e os vários compartimentos ambientais com alunos do ensino fundamental II. Para as análises dos parâmetros físicos e químicos e para o teste de mutagenicidade, foram coletadas amostras de água do rejeito na área da Mina Brejui, na cidade de Currais Novos, e na Fazenda Bento Nunes, na cidade de Santa Cruz, sendo esta uma área controle. Para abordar a problemática ambiental, foram aplicados questionários em duas escolas da rede pública de ensino nas áreas em estudo. Os resultados relacionados ao estudo de percepção ambiental permitiram uma comparação entre as escolas, de modo a se tornar possível a formulação de um diagnóstico do desempenho de cada uma em relação à percepção ambiental. A análise dos envolvidos evidenciou o processo de construção dos conhecimentos ambientais, com os quais os alunos percebem o impacto desse tipo de atividade (mineração) para o meio ambiente, independentemente de estar inserido nesta realidade ou não. As análises físico-químicas revelaram a presença de substâncias inorgânicas em níveis superiores às concentrações permitidas pela legislação brasileira, sobretudo de Al, NH3 e fósforo total, para as coletas realizadas. Sendo o Alumínio um dos principais metais associados a contribuir com a provável contaminação, o que pode estar associado com o período de chuvas e, portanto, com a alta turbidez, além de altas concentrações de Zn, Ni, Co, Cr, Fe, Mn e Cu. Adicionalmente, foi possível inferir que as águas coletadas na Mina Brejui, apresentaram ação genotóxica para o organismo-teste Allium cepa. O ponto referente ao rejeito menor apresentou um aumento nos índices de alterações cromossômicas. Os resultados deste estudo alertam para os riscos que os despejos oriundos da mineração caracterizam para os corpos hídricos, principalmente pela complexa constituição química que apresentam.

Présentation

Version intégrale (1,5 Mb)

Page publiée le 19 février 2020