Informations et ressources scientifiques
sur le développement des zones arides et semi-arides

Accueil du site → Doctorat → Brésil → Efeitos da adubação nitrogenada na cultura do milho sob estresse salino em dois solos

Universidade Federal do Ceará (2018)

Efeitos da adubação nitrogenada na cultura do milho sob estresse salino em dois solos

Braz, Régis dos Santos

Titre : Efeitos da adubação nitrogenada na cultura do milho sob estresse salino em dois solos

Effects of nitrogen fertilization on maize under saline stress in two soils

Auteur : Braz, Régis dos Santos

Université de soutenance : Universidade Federal do Ceará

Grade : Doutorado em Ciência do Solo 2018

Résumé
O aumento da adubação nitrogenada para amenizar os efeitos danosos da salinidade tem sido descrito para diversas culturas. Entretanto, a redução no crescimento das plantas causada pelo estresse salino pode resultar em menor absorção de nutrientes, provocando a perda destes nutrientes por lixiviação, tal como o nitrogênio. Essa perda, mesmo em condição salina, também é dependente das propriedades texturais do solo. Assim, objetivou-se avaliar os efeitos da adubação nitrogenada em plantas de milho, submetidas ao estresse salino em dois solos. O trabalho foi realizado em casa de vegetação, utilizando-se colunas de solo (100 x 20 cm). O delineamento experimental foi o inteiramente casualizado, com quatro repetições, em esquema fatorial 2 x 2 x 4, correspondendo a dois solos (Argissolo e Neossolo), duas doses de nitrogênio (105 e 210 kg ha-1) e quatro níveis de salinidade da água de irrigação (0,5 ; 2,0 ; 4,0 e 6,0 dS m-1). Foram avaliados o crescimento, clorofila total, trocas gasosas foliares, teores foliares de solutos orgânicos e inorgânicos, eficiência do uso do nitrogênio e os atributos químicos dos solos. A salinidade reduziu o crescimento das plantas, as trocas gasosas foliares, o teor clorofila total e promoveu acúmulo foliar de prolina, N-aminossolúvel e carboidratos. Embora tenha mostrado interação com o tipo de solo, de modo geral, o nitrogênio não atenuou os efeitos da salinidade sobre os parâmetros supracitados. A salinidade também diminuiu os teores foliares de Ca, Mg, e N. Entretanto, provocou aumento nos teores de Zn, Cu, Mn, Fe, Na e Cl, sendo que os maiores incrementos ocorreram nas plantas cultivadas em Argissolo com a maior dose de nitrogênio. A eficiência do uso do nitrogênio foi maior quando utilizada a menor dose de nitrogênio. Porém, não apresentou interação com a salinidade, que promoveu redução da A/N-dose e A/N-foliar com o aumento nos níveis salinos. Avaliando os atributos químicos dos solos, verificou-se que a CEes e o teor de Na aumentaram, enquanto o pH reduziu em decorrência da salinidade. No entanto, essas respostas foram dependentes do tipo de solo, sendo o Argissolo o que promoveu maior CEes, Na e maior redução do pH. Os maiores teores de Mg e K também foram encontrados no Argissolo, porém sem relação com a salinidade ou doses de nitrogênio. Já o teor de Ca no solo aumentou no Argissolo e com o incremento dos níveis salinos. A salinidade aumentou o NO3 - e o N-total no solo, com maior incremento de NO3- no Argissolo adubado com a dose de 210 kg ha-1 de N.

Mots Clés  : Semiárido Salinidade Nitrogênio

Présentation

Version intégrale (1,95 Mb)

Page publiée le 19 janvier 2020