Informations et ressources scientifiques
sur le développement des zones arides et semi-arides

Accueil du site → Doctorat → Brésil → Aplicação de extrato de algas marinhas em sistema de produção de girassol irrigado com água salina

Universidade Federal do Ceará (2019)

Aplicação de extrato de algas marinhas em sistema de produção de girassol irrigado com água salina

Luna, Nayara Rochelli de Sousa

Titre : Aplicação de extrato de algas marinhas em sistema de produção de girassol irrigado com água salina

Application of seaweed extract in Sunflower production system irrigated with saline water

Auteur : Luna, Nayara Rochelli de Sousa

Université de soutenance : Universidade Federal do Ceará

Grade : Doutorado em Ciência do Solo 2019

Résumé
Considerando às restrições de uso da água no Semiárido brasileiro em decorrência das condições climáticas adversas, as águas de qualidades inferiores (salinas) podem ser uma estratégia para viabilizar a produção agrícola na região. Tendo em vista que a irrigação com águas salinas pode afetar o desenvolvimento das plantas, devido os efeitos osmóticos, tóxicos e nutricionais, a utilização de extratos de algas marinhas (Ascophyllum nodosum), surge como uma alternativa para melhorar o desempenho agronômico das culturas sob estresse abiótico. Nesse sentido, objetivou-se avaliar a aplicação foliar de extrato comercial de algas marinhas como uma estratégia para minimizar os efeitos deletérios da salinidade sobre a cultura do girassol (Helianthus annuus). O experimento foi conduzido a pleno sol, na área experimental da estação agrometeorológica da Universidade Federal do Ceará - UFC, Fortaleza. O delineamento adotado foi em blocos casualizados, em esquema de parcelas subsubdivididas, em que as parcelas foram constituídas por dois ciclos de cultivos, as subparcelas por quatro níveis de salinidade (1,2 ; 3,0 ; 4,5 e 6,0 dS m-1) e as subsubparcelas por quatro doses de extrato de algas (0 ; 100 ; 150 e 200% da recomendação do fabricante do extrato). Foram avaliados os teores de elementos minerais, o crescimento, as trocas gasosas, o teor relativo de clorofila total, a produção e a qualidade da produção, bem como a evolução da condutividade elétrica (CE) do solo. A salinidade reduziu os teores foliares de todos os elementos, exceto o cálcio (Ca) e o sódio (Na), bem como inibiu o crescimento, as trocas gasosas, os teores relativos de clorofila total, a produção e a qualidade da produção, além de promover o acúmulo crescente de sais no solo. O extrato de algas marinhas amenizou os efeitos deletérios da salinidade sobre os teores foliares de potássio (K), o diâmetro do caule, o diâmetro interno do capítulo, a área foliar, a matéria seca da parte aérea e a total, os teores relativos de clorofila total, a produtividade de aquênios e a massa de 1.000 aquênios até o nível de 3,0 dS m-1, já que o extrato de algas teve seu efeito inibido nos níveis mais altos de salinidade avaliados (4,5 e 6,0 dS m-1). As doses mais eficientes do extrato de algas foram as de 100 e 150% da recomendação do produto, destacando que a dose máxima provocou redução na área foliar, na matéria seca da parte aérea, na matéria seca total e nos teores relativos de clorofila total.

Présentation

Version intégrale (2,44 Mb)

Page publiée le 4 février 2020