Informations et ressources scientifiques
sur le développement des zones arides et semi-arides

Accueil du site → Doctorat → Portugal → VULNERABILIDADE À SECA NAS REGIÕES SEMIÁRIDA BRASILEIRA E PORTUGUESA : UMA AVALIAÇÃO BASEADA EM LÓGICA FUZZY

Universidade do Porto (2019)

VULNERABILIDADE À SECA NAS REGIÕES SEMIÁRIDA BRASILEIRA E PORTUGUESA : UMA AVALIAÇÃO BASEADA EM LÓGICA FUZZY

Queiroz Rosendo Eliamin Eldan

Titre : VULNERABILIDADE À SECA NAS REGIÕES SEMIÁRIDA BRASILEIRA E PORTUGUESA : UMA AVALIAÇÃO BASEADA EM LÓGICA FUZZY

Auteur : Queiroz Rosendo Eliamin Eldan

Université de soutenance : Universidade do Porto

Grade : DOUTORAMENTO EM GEOGRAFIA 2019

Résumé
As regiões semiáridas são caracterizadas por suas variações climáticas de alternância entre períodos com baixa pluviosidade e períodos com elevada precipitação. Esses locais, quando habitados, tornam-se palcos propícios à ocorrência de desastres. A presente investigação tem como objetivo analisar a vulnerabilidade socioambiental à seca das regiões semiárida brasileira e portuguesa, por meio de indicadores de vulnerabilidade. A aplicação dos indicadores de vulnerabilidade teve como foco aos anos de 2000 e 2010 no território brasileiro (municípios do semiárido paraibano) e 2000, 2004 e 2010 no território lusitano (municípios inseridos na Região da Bacia Hidrográfica do Rio Guadiana). A metodologia utilizada consistiu na agregação de dados socioambientais das regiões alvos do estudo, utilizando-se dos pressupostos da teoria de conjuntos fuzzy e do seu tratamento matemático dado às incertezas envolvidas na análise de termos subjetivos, como é o caso da vulnerabilidade. O índice de vulnerabilidade foi obtido pela análise integrada de três indicadores : Exposição, Sensibilidade e Capacidade Adaptativa. Os resultados para a região semiárida brasileira mostrou uma diminuição das vulnerabilidades da maioria dos municípios, tendo em vista as mudanças sociais e econômicas ocorridas entre os anos de 2000 e 2010, alguns municípios se destacaram, como por exemplo, o município de Princesa Isabel que reduziu sua vulnerabilidade de 0,646 para 0,322 em um espaço temporal de dez anos. Já O município de Cabaceiras, mesmo havendo melhorado seus resultados, apresentou os piores resultados em ambos os anos, (0,679 em 2000 e 0,646 em 2010). A evolução dos resultados da região semiárida portuguesa foi parecida com a da região semiárida brasileira, porém, mais discreta, tendo uma redução da vulnerabilidade na maioria dos municípios, no comparativo entre os anos de 2000 e 2010. Ao se computar os dados do ano de 2004, os resultados foram os mais vulneráveis dos três anos, tendo em vista a grande seca que a região esteve exposta, nos anos de 2004-2005. Após a obtenção dos resultados, em ambos os países, com o intuito de referendar os resultados, foi feito um estudo comparativo com diversas fontes históricas (como jornais, sites de pesquisa, bancos de dados sobre desastres e registos em pesquisas científicas) que relatavam a ocorrência e magnitude de eventos de seca. Para o Brasil, a análise quantitativa/qualitativa da recorrência de palavras-chave relacionadas à seca, em jornais, refletiu a diminuição da veiculação de notícias que versassem sobre a seca e suas intempéries com o passar dos anos. Além desse fator, para os dois países, foi analisado o interesse das pessoas que utilizaram o Google® como ferramenta de pesquisa para termos relacionados com a seca, em diferentes períodos. Acredita-se que o método empregado permitiu uma análise integrada dos fatores naturais e sociais, de ambas as regiões, e possibilitou uma análise pormenorizada dos aspectos da vulnerabilidade à seca em diferentes anos.

Mots clés  : seca, semiárido, vulnerabilidades, indicadores.

Présentation

Version intégrale (21,4 Mb)

Page publiée le 17 mai 2020