Informations et ressources scientifiques
sur le développement des zones arides et semi-arides

Accueil du site → Doctorat → Portugal → Género e Água : O caso do Programa Um Milhão de Cisternas Rurais em Serra Talhada no Semiárido Brasileiro

Universidade Nova de Lisboa (2019)

Género e Água : O caso do Programa Um Milhão de Cisternas Rurais em Serra Talhada no Semiárido Brasileiro

Façanha, Islene Pinheiro

Titre : Género e Água : O caso do Programa Um Milhão de Cisternas Rurais em Serra Talhada no Semiárido Brasileiro

Auteur : Façanha, Islene Pinheiro

Université de soutenance : Universidade Nova de Lisboa

Grade : Doutor em Alterações Climáticas e Políticas de Desenvolvimento Sustentável, 2019

Résumé
A temática conjunta do género e da água é considerada como um dos principais desafios do século XXI. Eles estão interligados através do papel tradicional desempenhado pelas mulheres na coleta, gestão e conservação da água. Sabe-se também que as mulheres desempenham um papel substancial na produção de alimentos, sobretudo nos países em desenvolvimento. Apesar do reconhecimento internacional sobre a importância do papel da mulher na gestão dos recursos hídricos, elas ainda são excluídas das tomadas de decisões no setor. Entretanto, o semiárido brasileiro foi o berço de um programa inovador no que diz respeito à inclusão feminina numa política hídrica. Neste contexto, o estudo visa analisar como a participação da mulher no Programa Um Milhão de Cisternas Rurais (P1MC) pode contribuir para uma gestão da água mais sustentável no espaço doméstico e na comunidade local. Construiu-se o processo metodológico através de estudo qualitativo e exploratório cujos meios de investigação foram entrevistas semiestruturadas, questionário, grupos focais e observação participante. A análise de conteúdo realizou-se através do software MAXDQA 12. Os resultados do estudo apontam que a implementação do P1MC, possibilitou uma maior participação feminina nas tomadas de decisões na gestão hídrica e nos debates no meio comunitário. Além de maior autonomia hídrica e capacitação feminina. As organizações não-governamentais apresentaram grande importância nesse processo. Desse modo, conclui-se a importância das ONGs locais para impulsionar as políticas em terreno. Além disso, notou-se a necessidade de mais trabalhos sobre a real dimensão da inclusão feminina nas políticas da água no Brasil e como ela se manifesta. Também seria essencial mais estudos de caso que envolvam a temática do género e a água, realizando um mapeamento com dados desagregados para acompanhar a evolução dessa questão.

Mots clés  : Género Água Políticas Participação e Semiárido

Présentation

Version intégrale (3,5 Mb)

Page publiée le 17 mai 2020